29 de janeiro de 2016

Resenha: Lola e o garoto da casa ao lado

Antes de tudo, um aviso. Eu decidi que todas as sextas terão resenhas aqui no blog, fixo até que eu pare de ler (ou seja, nunca). E esse é mais um livro escolhido para o I Dare You, projeto maravilindo, melhor desafio literário.

O livro dessa semana foi um que eu tentei começar pelo menos umas 4 vezes. Só que não era culpa do livro, e sim minha, I was terrible, but tudo mudou quando eu consegui passar das primeiras páginas e... não sei se notaram, mas não gosto muito de contar minha opinião logo no começo da resenha. É bem difícil fazer isso com esse livro

Então, obviamente li sobre a história de Lola. Na verdade, logo você vai descobrir que o nome dela não é Lola e que ela lida com uma coisa que por muitos é considerado anormal. Ela tem dois pais, e não, isso não a incomoda agora, mas não entendia bem quando era criança. E também tem um namorado, Max. Ele é mais velho, ela tem 16 e ele 22, e ela tem dois pais. Gente, se com um pai já é difícil, imagina com dois.

Lola é bem diferente, ela tem um dom, uma criatividade maravilhosa, ela se veste (isso é conclusão minha) meio que baseada no humor, e isso inclui perucas loiras, verdes e azuis. Faz suas próprias roupas. Sempre está expressando tudo através do look. Isso pode fazer com que as pessoas a interpretem mal, como se ela sempre estivesse disfarçada e nunca mostrasse seu verdadeiro eu.

O namoro com Max está ótimo, a não ser pelos seus pais ficarem pegando no pé dele, pois além de velho ele toca. Em uma banda. De rock. E tem tatuagens. E pais se preocupam. Max passa por algumas coisas por ela, como o brunch de domingo, mas sempre reclama depois da forma dele. Não aguento, tenho que dizer que acho ele detestável.
E é em um desses brunch's que Lola visualiza a volta da família Bell. Calliope Bell e Cricket Bell, os gêmeos. E claro, ela entra em pânico. E eu não quero contar nada sobre Cricket Bell porque tenho medo de insultar a visão que tenho desse garoto maravilhoso. Só com essa frase já dá para saber que ele é incrível né? E é.

É claro que há muita nostalgia com sua volta, muitas lembranças cheias de sentimentos lindos mas que levam a dor. Ainda sim, sentimentos. E é por conta deles que Lola fica confusa, mente mais do que já o fazia, entra em conflito consigo mesma, sem saber quem é.

E eu nem falei de Norah ainda, nem vou falar para deixá-los curiosos. 

Em meio a tanta confusão Lola não consegue ouvir seu coração, mas ela é inteligente, ela consegue dar a volta por cima e descobrir quem é seu grande amor. Quem será?

Tem uma surpresa para quem leu outro livro da autora, Anna e o beijo francês. Adivinha quem aparece na história como amigos de Lola? Siiiiim, Anna e St. Clair. Meu coração caiu em fangalhos quando li seus nomes na história. E finalmente aconteceu o que eu tanto quis na vida, soube o destino de personagens depois que o livro acabou. Recomendo muito esse também.

É claro que me apaixonei pelo livro e nem acredito que enrolei tanto para lê-lo. Se você quer lê-lo a muito tempo, PEGUE O LIVRO AGORA! É lindo. In love pra sempre. 

Autora: Stephanie Perkins (te amo mulher)
Onde comprar: Cultura | Saraiva | Extra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adaptado por Isabelle Felicio

Tema Base por Butlariz