12/02/2016

Resenha: O Castelo de Vidro

Esse livro é daqueles que te fazem querer ler até o final no mesmo dia. Ele foi o que mais me deu raiva, mais me fez querer dar na cara de personagens. E por saber que tudo foi uma história real que dá mais raiva ainda. 

O livro é uma biografia contada de uma forma tão bem escrita que você deseja que nada daquelas coisas absurdas sejam verdade. A autora e seus irmãos tiveram uma vida bem difícil. Eles se mudavam constantemente, muitas das vezes dormiam no carro, no deserto, em papelões, passaram frio, foram assediados. Muitas vezes não tinham o que comer e chegavam a revirar lixo para encontrar algo. A mãe era uma artista que falava que tinha que dedicar todo o tempo para si, para sua arte, e não aos filhos. Na minha opinião uma egoísta preguiçosa. Ela tem diploma de professora, mas tinha preguiça de levantar cedo, ter que trabalhar. Acreditava que deixar seus filhos livres para fazer o quiserem iria lhes dar mais criatividade e autossuficiência. Eles se mudavam constantemente, e sempre que que isso acontecia, os filhos tinham de escolher apenas uma coisa para levar, mas ela não, todos os seus trabalhos artísticos eram levados. Injustiça e egoísmo. 

Certa noite, as crianças estavam sem comer, todos reunidos na sala da casa e perceberam que a mãe estava a se esconder constantemente debaixo das cobertas do sofá-cama. Eles a acusaram de estar comendo algo e ela deu a desculpa de que estava com frio. Os filhos arrancaram as cobertas e viram que ela estava comendo uma barra de chocolate da Hershey’s tamanho família. Nessa parte comecei a resmungar e meu marido começou a rir de mim. Com raiva por causa de um livro ele disse. Eu estava totalmente submersa. 

O pai era inteligente, mas era um bêbado. Tinha projetos de arquitetura, gostava muito de matemática, engenharia, elétrica, mas vivia perdendo os empregos. A filha que ele mais gostava era Jeannette e ela sempre acreditou nele, até quando ele dizia que ia construir o Castelo de Vidro, o projeto de uma casa muito legal toda feita de vidro, para eles verem as estrelas. Quando se estabeleceram em Welch ele falou que iria começar a construí-lo, mas ele ficava mais tempo nos bares do que construindo (enquanto as crianças sentiam fome, não tinham onde tomar banho ou fazer suas necessidades ele gastava dinheiro em bebibas). Jeannette e seu irmão Brian resolveram cavar um buraco bem fundo para ajudar a fazer o alicerce. Ficou tão abandonado que o lixo da casa passou a ser jogado lá e então ela parou de acreditar nele.
Tem tantas cenas de indignação, de raiva que eu parava de ler por um minuto e voltava pra ter o prazer de ler um final feliz. E quando comecei a ler sobre esse final feliz não parei mais. É um livro muito bom, que envolve e que te faz entrar na história, sentir o que sentem e querer de alguma forma poder ajudar. Me ajudou a ter outros pontos de vista. A autora escondeu a história dela por muito tempo, hoje com 50 e poucos anos. Acho que agora ela se sente mais leve por não ter mais que esconder, já que é uma pessoa pública. 

Sempre vou recomendar esse livro à todos. Sem sombra de dúvida, é o melhor livro já escrito. Sabem, eu amo as sensações que um livro pode te dar, e esse me deu todos os feelings que se pode ter lendo um livro. Alegria, tristeza, raiva, alívio. Chorei, reclamei, agradeci. É uma história triste que vai te fazer valorizar melhor as coisas que tem. Leiam, simplesmente leiam.

Autora: Jeannette Walls
Editora: Globo Livros
Onde Comprar: Travessa | Amazon

12 comentários:

  1. Não conhecia o livro, mas parece ser bem interessante, fiquei com vontade de ler.

    Beijos:*
    Escritas na Chuva

    ResponderExcluir
  2. Muito boa sua resenha! Me deixou com vontade de ler o livro!

    ResponderExcluir
  3. Parece um livro tocante e triste, mas lindo, sua resenha me deu vontade de ler ainda mais sabendo que é uma biografia.

    ResponderExcluir
  4. Parece legal o livro! Curti sua resenha, deu vontade de ler! ;)

    ResponderExcluir
  5. gosto muito de historias reais,relatos de pessoas reais,quero muito ler e conhecer mais essa historia de vida

    ResponderExcluir
  6. Eu já tive essa experiência de querer esganar um personagem (pelo menos umas duas vezes), mas os livros eram ficcionais. Esse deve ser muito superior! Quando estiver menos atolada de coisas pra ler, vou procurar por ele!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia esse livro, mas me interessei por ele. Pena que minha lista "para ser lido" está enoooooorme. Ele vai para o final da lista. Tenho uma coisa por histórias reais... sei lá, me dão panico em saber que aquilo realmente aconteceu.

    www.ligeiramenteazeda.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro, mas fiquei bem curiosa, do jeito que você falou parece ótimo!

    ResponderExcluir
  9. Nossa, super entendi a sua raiva, rsrs. Dá vontade de intervir né? Imagino a reação do seu marido rs
    Livros que retratam histórias que realmente aconteceram são fascinantes. Tô sentindo falta de ler uns :/
    Obrigada pela sugestão.
    Beijos

    www.juhlihipy.com

    ResponderExcluir
  10. Já tinha ouvido falar do livro, mas nunca tinha lido nenhuma resenha dele. Fiquei curiosa pra saber do final feliz...

    ResponderExcluir
  11. eu nunca li um biografia na vida, mas sempre tive curiosidade! Você não é a primeira blogueira que eu vejo falando desse livro e isso só aumentou minha curiosidade para lê-lo *-*
    beijos :*
    http://memorialices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Sua resenha despertou uma curiosidade imensa de ler esse livro. Nunca tinha ouvido falar, já quero ler <3

    ResponderExcluir

Adaptado por Isabelle Felicio

Tema Base por Butlariz