22 de março de 2017

Resenha | A Traidora do Trono #2

A Traidora do Trono é o segundo livro de A Rebelde do Deserto, portanto, contém spoilers sobre o primeiro livro, A Rebelde do Deserto.
Normalmente não começo resenhas demonstrando meu amor por uma leitura, mas é praticamente impossível começar essa resenha de outra forma. Essa história é tão bem feita, tão criativa e tão bem escrita que não te deixa comer, dormir e faz você mentir para si mesmo de que não está tão apertado para parar a leitura e ir ao banheiro. 

No primeiro livro Amani só queria sair da Vila da Poeira, se livrar do casamento arranjado e viver sua própria vida, mandar em si mesma, ser livre. Os planos dela foram frustrados de certa forma. Ela conseguiu fugir, mas não para onde queria. Acabou se envolvendo com o príncipe rebelde e descobrindo a si mesma, o que era, e o que podia fazer.

Nesse segundo livro Amani está mais forte ainda. Seu apelido de Bandido dos Olhos Azuis pegou e estava se tornando até uma lenda entre a população de Miraji. As histórias rolavam pelo país, uma mais deturpada que a outra e eles nunca sabiam se era uma Bandida ou um Bandido. Ela agora faz parte das histórias que a mãe contava para ela quando criança.

Os planos dos Rebeldes estão dando certo, estão conseguindo atingir mais pessoas e elas estão aderindo as suas ideias, mas para a história continuar algo tinha que dar errado. Os boatos diziam que o sultão precisava de um demdji, para quê ninguém fazia ideia, mas com certeza para algo destrutivo a considerar pelo último que teve. 
Quando ela pensa que nada mais poderia dar errado, ela é traída, e se vê prisioneira no palácio. Enquanto pensa em como sair dali também se preocupa em espionar o sultão e passar as informações para a rebelião. Mas após um tempo com o homem ela passa a questionar se ele é mesmo o vilão.

Só quero dizer que a Alwyn Hamilton é uma escritora incrível! Ela sabe mexer com nossos sentimentos e sabe surpreender na hora certa. A Rebelde do Deserto e A Traidora do Trono foram um dos poucos livros em que nenhum momento eu senti tédio ou vontade de parar de ler até pra comer. A criatividade dessa mulher é fenomenal, talvez esses estejam se tornando os meus livros preferidos. Você vai se surpreender a cada capítulo. E não pense que sabe de alguma coisa que vai acontecer. Pode especular, mas não acho que vá acertar. 

Não sou imersa nesse movimento de Poder Feminino, mas se você é esse é o livro pra você! Nunca li uma história com tantas mulheres poderosas. Shazad é o braço direito do príncipe Ahmed, o ensinou a lutar, assim como ensinou muitos outros do acampamento. Ela vale por muitos numa luta. Hala é incrível, entra na mente das pessoas, consegue colocar memórias que não existiram, esconde seus companheiros quando é necessário. Imin, irmã de Hala, pode se tornar qualquer pessoa que quiser, um homem grande ou bem pequeno, pode se tornar destruidora ou uma simples serviçal de quem ninguém desconfiaria. Delila consegue fazer ilusões como um véu e quer lutar na rebelião que iniciou por causa dela. Amani tem o deserto nas mãos, um poder de destruição incomparável, além de ter uma mira excepcional. Shira me fez chorar e só de lembrar dela o meu corpo arrepia. Ela foi a força que mais surpreendeu nesse volume. 

A história acabou com a promessa ainda mais forte de Uma nova alvorada, um novo deserto.

Autora: Alwyn Hamilton
Editora: Seguinte
Onde comprar: Saraiva | Submarino | Americanas


Um comentário:

  1. O livro parece muito bom. Não conhecia o primeiro, mas deu vontade de ler. Adorei as fotos do post!

    sorria sempre :)
    www.malusilva.com.br

    ResponderExcluir

Adaptado por Isabelle Felicio

Tema Base por Butlariz