26 de julho de 2017

Resenha | A guerra que salvou minha vida

Ada nunca saiu de casa. Sua noção do mundo se dava apenas pelo que podia ver da janela do apartamento ou pelo que o irmão mais novo contava. Ela tem uma deficiência no pé, pé torto, e por causa disso a mãe não a deixa sair. O irmão, James, já tem mais liberdade. Ele não tem pé torto.

Já deixo bem claro que essa não é uma história de uma família linda que irá superar suas diferenças com o tempo, ou que se ama no mínimo. A mãe não tem pena ou amor pelos dois, muitas vezes punindo-os por pouco, principalmente a Ada, o que faz a garota ter frequentes ataques de pânico.

Com o irmão cada vez maior e com saídas mais frequentes, Ada percebe que, mesmo tendo cuidado dele a vida toda, não pode o prender em casa como a mãe a prende, afinal ele está prestes a começar a escola. Então faz o que devia ter feito a muito tempo, aprende a andar. Em total segredo ela começa a dar os seus primeiros passos. Talvez depois daquilo a mãe a ame.

Mas então a guerra se aproxima, e Londres é com certeza um alvo para Hitler. Todas as crianças precisam ir pro interior, para ficar longe das bombas. E a mãe diz que James vai, mas que ninguém vai querer a Ada, e que ela não vai. A garota não consegue nem pensar em ficar sozinha com a mãe, então usa o que aprendeu durante o verão inteiro par fugir nos trens com o irmão pro interior.
É quando ela começa a conhecer o mundo. A grama, o mar e muitas palavras novas. Em nenhum momento foi fácil. Viajar para longe, morar com alguém que não os queria, se encolher a todo momento pensando que ia apanhar. Mesmo quando a Srta. Smith demonstrava carinho ela se fechava, sabia que não podia se acostumar aquilo, a ter o que quer que fosse, pois nunca teve nada. Então, com a guerra cada vez mais agravante, ela tem que lidar com novos sentimentos, com a liberdade recém adquirida e com aquele desejo lá no fundo de si de nunca mais precisar voltar pra mãe.

O livro é todo narrado pela Ada, uma criança de mais ou menos 10 anos (pois a mãe nunca havia falado suas idades nem data de aniversário). Em nenhum momento a narração fica cansativa ou infantil demais. A personagem teve que crescer bem cedo, aprender a se cuidar e cuidar do irmão. A mãe é a pior personagem do mundo, você vai odiar tanto essa mulher que não dá nem pra explicar. 

Os detalhes na edição são absolutamente incríveis, com aquele capricho Darkside. Além dessa capa muito linda, o livro conta com várias fotos da segunda guerra e notícias da época.

É mais que satisfatório conhecer o mundo pelos olhos da menina, e ver o crescimento pessoal dela. A gente torce por ela, fica feliz por ela, seja pelo conhecimento adquirido ou por finalmente fazer amigos. A Srta. Smith faz o melhor pelos dois, se tornando uma verdadeira mãe quando ela mesma não o queria ser. É um livro triste e lindo ao mesmo tempo, e muito emocionante.

Autora: Kimberly b. Bradley
Editora: Darkside Books
Onde comprar: Amazon | Saraiva | Submarino


10 comentários:

  1. Nossa, o livro parece ser pesado. Historias que retratam a segunda guerra mundial são bem carregados e tocantes. Eu sempre choro, não consigo haha, mas amo! maravilhoso. parabéns pela resenha <3
    Beijinhos
    Ingrid Logatto do blog Princesando SQN
    www.ingridlogatto.com

    ResponderExcluir
  2. Esse livro foi o primeiro que recebi em parceria com a DarkSide books e se tornou um dos meus DarkCrush's <3 eu fiquei encantada pela história e amei ver a Adria descobrindo o mundo.

    É horrível pensar que existem pessoas que são exatamente como a mãe da Ada. Mesmo eu tendo tentado praticar minha empatia, e pensar que tem gente que é criada para acreditar em certos paradigmas, ficava indignada! Ninguém merece ser tratado mal por te algum deficiência :'(

    Enfim, foi uma leitura encantadora e inspiradora <3 Ah, sua resenha ficou um amor!

    ResponderExcluir
  3. Adoro histórias de guerra. Desde que vi essa capa sou louca para ler, mas não conhecia a história. Agora que conheço quero mais ainda. Credo que mãe ruim!
    Check-in Virtual

    ResponderExcluir
  4. A história parece ser bem pesada e triste mas ao mesmo tempo bem interessante. Fiquei curiosa!
    E que capa linda não?
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Amei demais sua resenha, super completinha e obviamente me deixou com mais vontade do que eu já estava de ler. Adoro livros que se passam na segunda guerra, já conhecia ele e queria ler, mas tinha entendido de uma forma diferente os acontecimentos e proposta, você esclareceu bastante e me deixou com aquele gostinho de quero mais, amei!

    blogdaumzoom.com

    ResponderExcluir
  6. Sua resenha está maravilhosa, muito bem desenvolvida e explicada. Adorei o assunto do livro, se bem que ainda tenho dúvidas se leria ele ou não. E que mãe é essa? Pelo amor de Deus. Só pelas coisas que você citou ja da para ter uma noção de como ela não vale nada.

    A história parece ser linda mesmo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Ouço todos falarem muito bem do livro, porém ainda não tive tempo de ler :( agora fiquei muiito mais curiosa!! Parabéns foi uma ótima argumentação

    ResponderExcluir
  8. Eu estou apaixonada pela história e olha que eu ainda nem li, a resenha está demais sendo objetivo e claro te convidadando para ler

    ResponderExcluir
  9. Eu já vi algumas resenhas desse livro e sempre me despertam curiosidade. Já adicionei ele a minha lista de leitura, mas falta tempo para iniciar. Acho a história bem diferente das costumeiras, talvez por isso me chame tanta atenção. Gostei da sua resenha. Beijocas! :3 ♥

    Sorriso Jovem

    ResponderExcluir
  10. Ente livro esta na minha lista, a historia parece ser muito emocionante, sua resenha ficou muito boa, parabens

    ResponderExcluir

Adaptado por Isabelle Felicio

Tema Base por Butlariz